domingo, 4 de dezembro de 2011

#OcupaRio :: Remoção do Ocupa Cinelândia

Remoção do Ocupa Rio – Cinelândia nesta manhã de domingo (4.dez.2011). Notícias atualizadas.

Sobre a remoção do Ocupa Rio ocorrida nesta madrugada de domingo (4.dez):

09:00h – O momento é de apoio afetivo, promover o encontro na praça da Cinelândia agora, sem a intenção de reocupar imediatamente. Já há gente aqui, inclusive pessoas que estavam no momento da remoção. Estamos nos informando sobre a situação no abrigo e procurando formas de reaver pertences pessoais, inclusive documentos que estavam dentro de roupas e mochilas que foram levadas em um caminhão separado. A biblioteca popular, formada por doações, também foi levada. Não houve apresentação de ordem judicial, inventário de apreensão, e nem sequer informações sobre o local de destino dos objetos por parte dos representantes da autoridade pública. Agradecemos a quem puder ajudar sobre isso também. Compartilhem, inundem as diferentes redes sociais, blogs, todas as esferas possíveis e venham para a praça! #OcupaRio

Mais detalhes (retirados do chamado na Página do Ocupa Rio no Facebook – https://www.facebook.com/OcupaRio):

A ação foi conjunta entre Guarda Municipal e Polícia Militar em várias localidades do centro, não apenas no Ocupa Rio. Os ocupantes não reagiram, não houve confronto. Os que não puderam comprovar residência, foram levados a um abrigo. As primeiras infos são de que esse abrigo seria o Antares, em Santa Cruz. No momento há caminhonetes da Guarda Municipal e viaturas da PM monitorando a praça para evitar a reocupação. Os garis já fizeram a limpeza total da área e há um palco sendo montado na frente do Teatro Municipal.

Quem estiver no Rio e puder vir à praça, por favor, venha! Neste momento é preciso apoio pacífico para promover o encontro entre as pessoas, dar suporte afetivo, sem a intenção de reocupar. Compartilhem e venham!

ATUALIZAÇÃO – 12:43h:

As pessoas se reuniram na praça pela manhã e decidiram por um ato público amanhã – segunda-feira 17:00h! O ato será contra o caráter arbitrário da remoção, que levou pessoas maiores de idade contra suas vontades, sem ordem judicial, sem haver enquadramento possível em nenhum crime, com desrespeito, jogando todos os seus pertences como roupas, barracas e mochilas (muitos dos quais continham documentos) em um caminhão de lixo, incluindo a biblioteca pública formada por doações. As demais atividades estarão mantidas. Na seqüência do ato, às 19h haverá exibição do filme Utopia e Barbárie, do diretor Silvio Tendler. Compareçam e divulguem!

NAO NOS INTIMIDARÃO COM ATOS ILEGAIS DE REMOÇÃO. A OCUPARIO CONTINUA!

ATIVIDADES PARA SEGUNDA-FEIRA (05/12/11)

NA PARTE DA MANHÃ BATE-PAPO ENTRE AS OCUPAS DO RIO E DA ESPANHA. BATEPAPO NA PRAÇA COM COMPANHEIROS ESPANHOIS E (EM DUVIDA) VIDEOCONFERÊNCIA COM MADRID.

AS 17h00: ATO CONTRA A REMOÇÃO, O MOVIMENTO RETOMA A PRAÇA.

AS 19h30: SERÁ REALIZADA A PROJEÇÃO DO FILME “UTOPIA E BARBÁRIE” DE SILVIO TENDLER, SEGUIDA DE BATE-PAPO COM O AUTOR/DIRETOR.

TODO MUNDO É CONVIDADO!

Fonte: http://ocupario.org/ - acessado em 04/12/11 as 15h00

Algumas imagens da remoção do Ocupa Cinelândia





6 comentários:

Anônimo disse...

Em vez de cantar a música da Cris Nicolotti (eu falei...), vou avisar mais uma vez: a única forma de evitar infiltrações de bandidos no movimento (muitos colocados por agentes de segurança do estado corrupto, inclusive soltando de prisões - esses são mandados de fato - para minarem o OcupaRio) é abrindo mão da hipocrisia ou ingenuidade (o que também não é virtude) acerca das pessoas em situação de rua. Na melhor das hipóteses, servem para distrair e drenar os recursos da ocupação; na pior, brigam, roubam e ameaçam, servindo diretamente aos políticos corruptos. Portanto, para que o problema habitacional e muitos outros possam ser resolvidos, se toquem que é necessário organização com pessoas as quais estejam motivadas politicamente (de preferência sem estarem ligadas a partidos). É fácil perceber: são os que sacrificam-se ao invés de aproveitarem-se. Galera, acorda...

Anônimo disse...

Em parte está certo, realmente houve problema com infiltrados de toda espécie, entretanto não se pode generalizar. Existe muita gente que está em situação de rua porque perdeu emprego, família, está doente ou sofre de dependência química em álcool e até drogas mais pesadas... outros apenas moram na rua porque trabalham na cidade, suas residências ficam distantes, e com o poco que ganham não lhes resta alternativa.

Ainda há uma parte da população em situação de rua que é formada por pedintes, ganha uns trocados pra comer, tomar cachaça e quando fica bêbado cai e dorme em qualquer lugar. Eles não roubam, não usam drogas ilegais e não cometem crime algum que não seja contra eles próprios. Trata-se realmente de uns pobres coitados.

Os infiltrados prejudicaram sim o acampamento e o movimento, mas agora isso acabou, pois não haverá mais acampamento, não haverá mais barracas.

Porém as reuniões pacíficas do Ocupa Rio, de protesto em praça pública serão constantes. O Ocupa Rio não acabou, o que acabou foi a acampada.

Quanto a população em situação de rua, cabe ainda lembrar o decreto nº 7.053, de 23 de dezembro de 2009; o qual institui a Política Nacional para a População em Situação de Rua e seu Comitê Intersetorial de Acompanhamento e Monitoramento, e dá outras providências.

O PRESIDENTE DA REPÚBLICA, no uso da atribuição que lhe confere o art. 84, inciso VI, alínea “a”, da Constituição,

DECRETA:...

http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2007-2010/2009/Decreto/D7053.htm

Anônimo disse...

Agradeço o importante lembrete (lindo... mesmo que esteja apenas no papel) do anônimo acima e subscrevo seu comentário. Continuo afirmando que não pode-se dedicar o movimento Ocupa apenas à população em situação de rua que encontra-se na Cinelândia, pois os outros milhares - apenas nessa cidade - não serão beneficiados nem pelas oficinas, nem por infrutíferas brigas e discussões acerca dessa questão. Os próprios, caso tivessem condições de entender, certamente prefeririam afastar-se do local para dar lugar aos politicamente motivados. No entanto, é difícil transmitir essa idéia para quem está nessa situação (a fome tem pressa), ainda que haja extrema necessidade que assim seja feito. Concordo que há pessoas em situação de rua que são honestas e de boa vontade, o que não diminui o fato de que acolhe-los, sem que haja motivações políticas por parte deles, seria abrir espaço para infiltrações (em acampamentos) de bandidos mandados - diga-se de passagem: esses não foram levados pela polícia e estavam na praça pela manhã, aguardando o movimento retornar - e distrações quanto às demandas maiores (as quais englobam todas as classes sociais, inclusive e principalmente, quanto aos menos favorecidos). Aqueles que desejam dedicar-se aos sem-teto, que o façam como ONG ou OSCIP ou de qualquer forma mais adequada do que o OcupaRio (o qual certamente continuará apoiando todos os movimentos de ocupação e, melhorando - leia-se: mais organização -, poderá apoiar ondas de ocupações e muito mais). E... Os que lutam contra o(s) Estado(s)... Que retomem a praça (mesmo que "somente" com assembléias) ou ocupem (com acampada) um local mais favorável. Para completar, registremos que uma batalha foi ganha pelos corruptos, pois conseguiram minar o movimento, retirar os marcos sem repressão política clara e ainda mantêm quase todos integrantes presos a essa discussão que não terá fim se continuarmos alimentando-a. Mais uma vez: Galera, ACORDA...

Anônimo disse...

CONCORDO 'que há pessoas em situação de rua que são honestas e de boa vontade, o que não diminui o fato de que acolhe-los, sem que haja motivações políticas por parte deles, seria abrir espaço para infiltrações (em acampamentos) de bandidos mandados - diga-se de passagem: esses não foram levados pela polícia e estavam na praça pela manhã, aguardando o movimento retornar - e distrações quanto às demandas maiores (as quais englobam todas as classes sociais, inclusive e principalmente, quanto aos menos favorecidos). Aqueles que desejam dedicar-se aos sem-teto, que o façam como ONG ou OSCIP ou de qualquer forma mais adequada do que o OcupaRio (o qual certamente continuará apoiando todos os movimentos de ocupação e, melhorando - leia-se: mais organização -, poderá apoiar ondas de ocupações e muito mais). E... Os que lutam contra o(s) Estado(s)... Que retomem a praça (mesmo que "somente" com assembléias) ou ocupem (com acampada) um local mais favorável. Para completar, registremos que uma batalha foi ganha pelos corruptos, pois conseguiram minar o movimento, retirar os marcos sem repressão política clara e ainda mantêm quase todos integrantes presos a essa discussão que não terá fim se continuarmos alimentando-a. Mais uma vez: Galera, ACORDA...'

Anônimo disse...

É, realmente é pra se refletir...

... bandidos mandados - diga-se de passagem: esses não foram levados pela polícia e estavam na praça pela manhã, aguardando o movimento retornar - e distrações quanto às demandas maiores (as quais englobam todas as classes sociais, inclusive e principalmente, quanto aos menos favorecidos). Aqueles que desejam dedicar-se aos sem-teto, que o façam como ONG ou OSCIP ou de qualquer forma mais adequada do que o OcupaRio (o qual certamente continuará apoiando todos os movimentos de ocupação e, melhorando - leia-se: mais organização -, poderá apoiar ondas de ocupações e muito mais)...

Anônimo disse...

triste ver o Ocupa Rio sendo despejado da praça PÚBLICA