Translate

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

Acredite, se quiser, mas antes se ligue nos fatos



Mentiras que você acreditou a vida toda e a ciência prova o contrário


Nesse artigo reunimos alguns mitos ou falsas informações que muitos de nós aprendemos errado, e podemos passar a vida toda julgando ser verdade. 

Como por exemplo você sabia que nem todos os dias possuem 24 horas? Ou que o Monte Everest não é a montanha mais alta do mundo ou que o Deserto do Saara não é o maior deserto do mundo? Leia o artigo e descubra mais assim você pode mandar para aquela pessoa que você conhece que insiste em acreditar nessas coisas.

É verdade que um raio não cai duas vezes no mesmo lugar?

Isso é uma das mentiras que ouvimos frequentemente, embora a chance de que isso ocorra seja ínfima, é perfeitamente possível que isso aconteça. De acordo com o professor de Física da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Sílvio Dahmen, tudo se resume à probabilidade. Como há vários locais onde os raios podem atingir, e isso depende de condições atmosféricas ideais, é muito pouco provável que dois raios sejam vistos atingindo um mesmo local, ou seja é uma questão de sorte – ou azar.

O ser humano utiliza apenas 10% do seu cérebro?

O mito de que usamos apenas 10% do nossos cérebros não passa de uma lenda urbana, que afirma que só se utiliza um décimo da capacidade do cérebro, de modo que grande parte dele é inativa. Algumas versões ainda alegam que seriamos “deuses” se fôssemos capazes de usar todo o potencial de nossa massa cinzenta.

Há uma série de argumentos lógicos e estudos para refutar tal teoria como:

1. Se usássemos apenas 90% do nosso cérebro ao sofrermos danos nessas áreas inativas, não deveríamos sofrer danos em nossas funções cerebrais ou até mesmo perdê-las, em outras palavras, você poderia escapar praticamente ileso de um acidente vascular cerebral (comumente chamado de “derrame”).

2. Nosso cérebro custa caro para o restante do corpo quando o assunto é consumo de oxigênio e nutrientes, o que chega a consumir cerca de 20% da energia do organismo, em contraste com o fato que o cérebro representa apenas 2% do peso do corpo. Se o cérebro tivesse tantas áreas obsoletas como dizem a evolução já teria se encarregado de diminuir seu tamanho e aumentar sua eficiência.

3. Através de técnicas como tomografia e ressonância magnética, podemos observar que mesmo durante o sono todas as áreas do cérebro apresentam alguma atividade, exceto em casos de sérios danos.

O assunto é longo abordaremos mais isso num futuro artigo.


O dia tem 24 horas exatas?

Por causa do movimento de translação da Terra ao redor do Sol, a duração do chamado dia sideral é diferente do dia solar (aquele que conhecemos perfeitinho com 24 horas exatas).

Entre uma noite e outra a Terra percorre um trecho de sua órbita em torno do Sol. Um dia solar do ano é consequência do movimento de translação, em um ano, um dia solar se deve ao movimento de translação da Terra, em um dia solar, 0.273% dele se deverá ao movimento de translação. Considerando-se um dia solar de 24 horas, ou 1440 minutos, 3,94 minutos seriam consequência do movimento de translação e 23 horas, 56 minutos e 4 segundos consequência do movimento de rotação.

A cor vermelha irrita os touros?

Os touros são daltônico, ou seja não diferenciam cores primárias como o verde e o vermelho. Por conseguinte possuem dificuldade em enxergar as outras cores também como muitos outros mamíferos, logo a capa poderia ser até cor de rosa que eles não estariam nem ai.

O que realmente provoca a irritação do animal é o movimento do toureiro com a capa e não a cor dela. O movimento age como  uma provocação. Além do fato de que os touros utilizados nas touradas são de uma variedade extremamente agressiva e são criados para apresentarem esse comportamento. O ataque do touro, bem como a sua agressividade dependem da habilidade do toureiro em agitar a capa. Antigamente, o vermelho era importante para “esconder” o sangue por um eventual ferimento durante a tourada.

A água conduz a eletricidade?

A água não conduz a eletricidade e sim as impurezas contidas nela, por exemplo mineiras dissolvidos.

Desde que a água destilada seja purificada e não contenha quaisquer impurezas, ela é incapaz de conduzir eletricidade. As moléculas de água por conta própria não têm carga e como resultado eles não podem trocar elétrons. Sem a troca de elétrons, a eletricidade é incapaz de viajar através da água destilada.

Buracos negros consomem tudo que está por perto?

Os buracos negros, especificamente falando, não têm alcance gravitacional maior do que qualquer outra estrela da mesma massa. Desse modo, se o nosso Sol, de repente se tornasse um buraco negro da mesma massa, o resto dos objetos, incluindo a Terra, não seria afetado gravitacionalmente. A Terra permaneceria em sua órbita atual, assim como o resto dos planetas. (É claro que outras coisas seriam afetadas, como a quantidade de luz e calor que a Terra recebe, ou seja nós ainda estaríamos em apuros, mas não seriamos sugados para dentro do buraco negro.)

Existe uma região de espaço em torno do buraco negro de onde a luz não pode escapar, daí que provém o nome buraco negro. O limite desta região é conhecida como o horizonte de eventos, e é definido como o ponto em que a velocidade de escape a partir do campo gravitacional é igual à velocidade da luz. O horizonte de eventos, é calculado de acordo com a fórmula do Raio de Schwarzschild.

Ler no escuro prejudica a visão?

De acordo com o oftalmologista do Hospital Universitário Clementino Fraga, ligado à Universidade do Rio de Janeiro (UFRJ),  Ricardo Lamy, não existe nenhum estudo científico que comprove que ler num ambiente pouco iluminado danifique a visão.

De acordo com Lamy, “o que prejudica é o fato que o esforço para a leitura será maior, ocasionando uma contração dos músculos dos olhos que pode terminar em uma dor de cabeça”.

No entanto, Lamy afirma que ler em um local mais iluminado possibilita ao indivíduo enxergar as coisas com um melhor contraste, facilitando a leitura. “A iluminação ideal é aquela que vem por trás da cabeça, não deixar a luz exatamente em cima ou chegando pela frente”, avisa.


O deserto do Saara é o maior deserto do mundo?

Ao contrário do que acreditamos ou o que imaginamos, a definição de um deserto segundo meu velho amigo Dicionário Aurélio é:

"Região que recebe anualmente precipitação de água inferior a 250mm, ou, então em que a precipitação é maior, porém distribuída de forma heterogênea, do que resultam pobreza de vegetação e fraca densidade populacional"

Em outras palavras um lugar seco e inóspito à vida, sendo assim podemos considerar a Antártida o maior deserto do mundo já que ela se encaixa perfeitamente nisso não acham?

A centopeia tem realmente 100 patas?

Embora o nome seja muito sugestivo e quase lógico, as centopeias não possuem 100 pés. Não há um número exato de patas definido para esses insetos rastejantes. O número de pés pode variar entre 15 e 191 pares, dependendo de cada espécie e tamanho. 

O Monte Everest é a maior montanha do mundo?

Embora o Everest seja alto, e, tenha a maior proeminência acima do nível do mar, o título de pico mais elevado do mundo vai para o vulcão Mauna Kea, no Havaí, com quase 2 mil metros a mais que o Everest.

O Mauna Kea é a montanha mais alta do mundo se levarmos em consideração a medição desde a base até ao pico – tem 10 203 metros a partir do fundo do oceano Pacífico (5998 metros abaixo da superfície, e 4205 metros acima).

Frio faz você ficar resfriado?

Não existem evidências de que exista associação entre se expor a baixas temperaturas ou choque térmico, e contrair um resfriado. Em um dos mais famosos estudos a respeito, realizado na Escola de Medicina da Universidade Baylor, nos Estados Unidos, em 1968, os voluntários foram expostos ao vírus do resfriado comum e posteriormente foram colocados em ambientes gelados ou quentes.

Todos ficaram doentes e a temperatura não interferiu. Apesar das pessoas contraírem mais resfriado no inverno, isso se deve ao fato que elas geralmente ficam mais tempo em lugares fechados o que facilita a proliferação do vírus. Em analogia podemos citar o vírus da dengue. Ele ataca com toda força no verão, e ninguém vem falar que é o calor é que provoca a doença.

Fonte / leia mais em: https://cienciasetecnologia.com/mentiras-que-voce-acreditou-vida-toda-e-ciencia-prova-o-contrario/

Nenhum comentário:

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...